Tiago Leifert: "Minha ambição é inovar sempre" (íntegra para o site) (2023)

O jornalista conta, em resposta aos leitores de ÉPOCA, como conseguiu criar um novo estilo de apresentação nos programas esportivos

Mesmo sem ter ido à África do Sul, o jornalista Tiago Leifert, de 30 anos, ganhou projeção nacional na cobertura da Copa do Mundo ao comandar o programa Central da Copa, da Globo. Com sua irreverência, contrariou a formalidade do telejornalismo da emissora e conquistou até aqueles que não gostam de esporte. Em entrevista a leitores de ÉPOCA, Tiago falou sobre humor no jornalismo esportivo, assédio das fãs e vontade constante de inovar: “Se eu conseguir escapar do comodismo que vem com o sucesso, coisas boas vão acontecer”.

ENTREVISTA - TIAGO LEIFERT

Tiago Leifert: "Minha ambição é inovar sempre" (íntegra para o site) (1) QUEM É
Tiago Leifert nasceu em São Paulo em 22 de maio de 1980

O QUE FAZ
É editor-chefe e apresentador da edição paulista do programa Globo esporte desde janeiro de 2009

CARREIRA
Aos 16 anos, começou como repórter cobrindo futebol de várzea para o Desafio ao Galo, da TV Gazeta. Estudou jornalismo e psicologia em Miami e estagiou na NBC. Antes de chegar ao comando do Globo esporte, trabalhou na TV Vanguarda, filiada à Rede Globo, e na SporTV. Durante a Copa do Mundo da África do Sul, apresentou o Central da Copa


Qual foi seu maior desafio ao implantar um novo estilo de apresentação? Foi muito difícil trazer para a Rede Globo um telejornalismo mais despojado?
Murilo de Souza Conceição,
Presidente Venceslau, SP, e Brisa Figueiredo, João Pessoa, PB

Tiago Leifert - Houve resistência, claro, como era de se esperar. A mudança de estilo foi brusca.Mas era um desejo da emissora tentar implantar um novo jeito de fazer o Globo esporte. As apostas que a gente fez assustaram um pouco no começo, mas vencemos no final.

Como surgiu a ideia do novo formato do Globo esporte em São Paulo?
Kelly De Conti Rodrigues, Bauru, SP,

Tiago - No fim de 2008, nossos diretores da Central Globo de Esportes decidiram que era hora de mudar a receita. Eles, creio eu, sabiam que eu sempre encarei esporte mais como entretenimento que qualquer outra coisa, e me convidaram para tentar algo diferente do que vinha sendo feito. Pensei em algumas coisas, escrevi um projeto, gravei um piloto e agora estou aqui "teclando" com vocês!


Você sofreu preconceito por ser filho de um diretor da Rede Globo? (Tiago é filho de Gilberto Leifert, diretor da Central Globo de Relações com o Mercado)
Pedro Igor Pimentel Azevedo,
Quixeramobim, CE

Tiago - Sofri, sim. Mas acho que hoje, depois de tudo que eu já passei na empresa, ficou claro que o preconceito era muito injusto.

(Video) O PROFESSOR FALAVA NA MINHA CARA... | TIAGO LEIFERT - FALA, BRASÓLHO!


Você estudou telejornalismo nos Estados Unidos e estagiou lá. Isso influenciou sua maneira inovadora de apresentar?
Kely Lima,
São Paulo, SP

Tiago - Sem dúvida. Os americanos têm mais espírito esportivo nos telejornais, são mais sossegados, mais soltos. Por lá o esporte é 100% entretenimento.


Você não tem medo da descontração do programa ficar mais importante que a notícia? Até que ponto o humor não compromete a credibilidade do esporte? Qual sua opinião sobre as pessoas que afirmam que o Globo esporte passou de um programa jornalístico para um programa de humor?

Caroline da Silva Duarte, Belford Roxo, RJ, Carina Almeida, Valença, RJ, e Odelmo Serrano, São José do Rio Preto, SP

Tiago - Notícia grave ou séria não foi nem nunca será tratada com descontração. Nunca deixamos de dar uma notícia importante. Fora isso, encaro esporte como entretenimento. Diversão. Saúde. Alegria. Emoção. A gente tem de cobrar seriedade nas eleições, na segurança pública, no governo. O Globo esporte é um programa que tem espírito esportivo, no sentido mais puro da expressão. Quem não tem espírito esportivo briga em estádio, bate em jogador na saída do treino... Essa não é nossa praia.


Qual é sua preparação antes de cada edição do Globo esporte? Você trabalha junto com os editores escolhendo as músicas, imagens e piadas? Como é esse processo?
Nayana Carisa Rocha de Menezes,
Fortaleza, CE e Rose Helen Bezerra, São Paulo, SP

Tiago - Sou editor-chefe, então tenho a palavra final em tudo e escrevo a maioria das reportagens feitas na redação (você consegue identificá-las quando ouve a minha voz narrando). Conto, para minha sorte, com uma equipe de gênios. Gênios! Cada um do seu jeito, cada um com uma pegada diferente. Minha rotina é assim: chego às7 horas da manhã, leio tudo que os repórteres fizeram e escolho os assuntos. Depois, passo as missões para os editores. Tenho quatro duplas de edição. O jornal fica pronto sempre em cima da hora, por volta das 12h45. Depois do jornal tem reunião de pauta, almoço na sequência e continuo trabalhando à tarde para pensar o programa do dia seguinte. À noite, quando tem evento esportivo (vôlei, futebol, basquete) eu assisto a tudo.


Sua fama nacional veio relativamente em um curto período de tempo. Como você está lidando com essa fama tão repentina? O que ela te trouxe de bom e ruim? Você chegou a se assustar com todo esse sucesso?
Yonara de Gouveia Cordeiro,
Curitiba, PR, Adriana Favila, Rio de Janeiro, RJ, e Michel Cruz, Ourinhos, SP

Tiago - Sucesso e fama são coisas diferentes. Primeiro, fiquei feliz com o sucesso do Globo esporte SP e do Central da Copa. Duas missões difíceis que, talvez, muita gente duvidasse do sucesso. Deu certo graças à equipe incrível que fez os dois programas (é a mesma equipe). Isso é sucesso: missão cumprida. Agora, a fama é uma consequência disso, mas tem um problema: ela desaparece rápido. Os sucessos ficam marcados, a fama vai embora. A gente não pode acreditar nela. Tem de buscar uma nova missão e ir pra cima. A fama me trouxe de bom novos colegas, uma rede de relacionamentos importante e muito, muito carinho das pessoas. Carinho pelo qual serei grato o resto da vida. A fama vai embora, mas esse carinho vai me marcar pra sempre, pode ter certeza. O que ela me trouxe de ruim? Acho que nada... só ganhei mais um exercício mental diário: não acreditar nela.


A que você atribui sua popularidade, principalmente entre aquelas pessoas pouco ligadas em esporte?
Ana Paula Mussi,
Curitiba, PR, e Larissa, São Paulo, SP

(Video) Cara a Tapa - Tiago Leifert

Tiago - Meu objetivo pessoal, desde que comecei no esporte, lá no SporTV em 2006, é falar de esporte de um jeito que todo mundo entendesse. Atingir as pessoas que não estão habituadas com esquemas táticos e afins. É, sem dúvida, o maior desafio do Globo esporte.


Você é solteiro?
Thaty Menezes,
São Paulo, SP

Tiago - Não, eu namoro.


Como você lida com o assédio do público feminino?
Pamela Lima,
Rio de Janeiro, RJ

Tiago - Acho muito louco isso! Muito engraçado. Queria ser tão bonito, inteligente e simpático quanto minhas fãs acham que eu sou! Se eu fosse 1% já estaria excelente. Tenho absoluta noção de que sou um cara mediano. Elas não me enganam!


Depois do grande sucesso do Central da Copa, o público imediatamente incentivou a ideia da criação de um Central do Brasileirão. Vai haver ou não um programa assim?
Nathália Almeida da Rosa,
Rio de Janeiro, RJ, e Luís Armando, São Paulo, SP

Tiago - Quem sabe?... Seria legal.


Você abriria mão de apresentar um programa esportivo em troca de um programa de entretenimento também voltado para o público jovem, mas com outros assuntos?
Anna Lorenzoni,
Toledo, PR

Tiago - Tudo depende. Depende do projeto, depende de tanta coisa. Estou feliz no Globo esporte, isso que importa.

(Video) QUAL LIÇÃO TIAGO LEIFERT TIRA COM A DOENÇA DE SUA FILHA?


Como é seu relacionamento com o ex-jogador e comentarista Caio Ribeiro?
Hugo André,
Alto Piquiri, PR

Tiago - Caio é um amigo querido. Um cara sensacional. Não conheço uma pessoa que não goste dele.


Você se espelha em algum jornalista? Se sim, qual?
Alan Sousa,
Taboão da Serra, SP

Tiago - Não, em ninguém. Sempre tentei buscar meu espaço.


Qual foi o maior “mico” que você já pagou em rede nacional?
Geferson H. Pedro,
Piraí, RJ

Tiago - Digita lá no YouTube “Tiago Leifert”. Depois você me conta.


Se você pudesse ser um jogador de futebol por um dia, qual seria?
Evelyn Vieira Ramos,
Campo Grande, MS

Tiago - Paulo Henrique Ganso (jogador do Ganso). Gostaria de saber como é ser um jogador habilidoso e inteligente por um dia.


É grande o número de pessoas querendo descobrir para qual time torce, mas você consegue se manter bem imparcial. É difícil manter essa imparcialidade?
Raíssa Fernandes,
São Paulo, SP

Tiago - Nem um pouco. Por trabalhar com esporte, você cria um vínculo com todos os times. Você começa a sacar as torcidas, os sentimentos. Você se vê torcendo por boas notícias, se pega pulando muito num gol de um time que antes era seu rival. O Globo esporte me ensinou a amar o esporte acima de tudo. Por isso, fica fácil não descobrir meu time: eu acabo torcendo por todos. É sério.


Qual era seu time de coração na infância? Time da época de criança você pode dizer, né?
Eugênia Ribeiro,
Ceará, CE

Tiago - Bela tentativa.


Você está sempre bem-humorado. O que te deixa de mau humor?
Maria Eduarda Lima da Silva,
Jaboatão dos Guararapes, PE e Simone Arantes, Itapetininga, SP

(Video) TIAGO LEIFERT CONTA COMO FUNCIONA A SELETIVA DE PARTICIPANTES DO BBB!

Tiago - Injustiça me deixa chateado. Mas não fico mais de 5 minutos bravo com alguma coisa. O tempo nessa vida é curto, bola pra frente!


Que tipo de música você ouve? Qual sua banda ou artista favorito?
Eveline,
Três Pontas, MG

Tiago - Como eu era DJ antes de virar jornalista (ainda brinco de DJ!), sou um cara muito, muito eclético. Meu iPod assusta um desavisado. Pode ir de Metallica a Exaltasamba a Frank Sinatra em três cliques.


O segredo do jornalismo atualmente é a convergência de mídias? Como enxerga esse novo tipo de jornalismo que usa as redes sociais?
Danylo Martins,
São Paulo, SP e Marina Müller, Florianópolis, SC

Tiago - Jornalismo é conteúdo; mídias convergentes têm a ver com métodos de distribuição, veiculação. O importante é a produção jornalística entender como se encaixar em cada mídia e saber respeitar as novas tecnologias. No momento, a maior mudança é o e-reader, mas creio que revistas e jornais terão facilidade para se adaptar. Até porque virar digital significa cortar custos (papel é mais caro).


O que você acha que a seleção brasileira poderia mudar para a Copa de 2014?
Luiz Henrique,
Brasília, DF

Tiago - O talento precisa voltar e Mano Menezes deixou isso claro na primeira convocação.


Quais são suas expectativas e ambições para a carreira?
Thaís Alves Rodrigues,
Goiânia, GO

Tiago - Eu estou feliz onde estou agora. Minha grande ambição é nunca se tornar obsoleto, sempre tentar inovar e se reinventar. Acho que se eu conseguir escapar do comodismo que vem com o sucesso, coisas boas vão acontecer no futuro. Preciso saber fazer bem a minha parte.

Videos

1. Tiago Leifert chora na despedida do Globo Esporte 06 07 2015
(Mundo Expert Youtube)
2. Tiago Leifert vai aos prantos com homenagem do The Voice Brasil vou mostrar para minha filha
(TV Jornalismo)
3. TIAGO LEIFERT FALA SOBRE BBB BIG BROTHER BRASIL | Cortes do Fenomenos
(Fenômenos Podcast )
4. REFLEXÃO APÓS O CÂNCER DA MINHA FLHA - TIAGO LEIFERT
(RESUMO DOS CORTES )
5. Filha de Tiago Leifert e Daiana Garbin, LUA ENCANTA A WEB!! #shorts #tiagoleifert
(Guia News)
6. Tiago Leifert MINHA FILHA ESTA COM CÂNCER
(THE FAMOSO)
Top Articles
Latest Posts
Article information

Author: Lakeisha Bayer VM

Last Updated: 01/23/2023

Views: 6558

Rating: 4.9 / 5 (49 voted)

Reviews: 80% of readers found this page helpful

Author information

Name: Lakeisha Bayer VM

Birthday: 1997-10-17

Address: Suite 835 34136 Adrian Mountains, Floydton, UT 81036

Phone: +3571527672278

Job: Manufacturing Agent

Hobby: Skimboarding, Photography, Roller skating, Knife making, Paintball, Embroidery, Gunsmithing

Introduction: My name is Lakeisha Bayer VM, I am a brainy, kind, enchanting, healthy, lovely, clean, witty person who loves writing and wants to share my knowledge and understanding with you.